Brasil – Governo Federal – Ministério da Educação

banner-120x60-amarelo

Figuras Maracanã

Curso Técnico de Telecomunicações

Habilitação: Técnico em Telecomunicações
Carga Horária: 1.200 horas
Estágio–Horas: 400 horas
Duração: 4 períodos semestrais

Objetivos

A instituição da Lei Geral de Telecomunicações dos anos 60 propiciou ao país a estruturação de uma das maiores redes de telecomunicações do mundo, possibilitando a organização das Empresas Estatais de Telecomunicações, responsáveis pela implementação do Plano Nacional de Telecomunicações.

Atualmente, o cenário nacional de telecomunicações passa por uma nova reestruturação, pois a privatização das Empresas Estatais e o surgimento de novas empresas, atuando em regime de competição, vêm provocando o surgimento de novos produtos e serviços, e a demanda por profissionais qualificados.

Nesse cenário extremamente competitivo, de acelerado crescimento da exigência de serviços especializados de telecomunicações, a curto e a médio prazos, fica evidenciada a necessidade da formação de profissionais, para atuarem nas atividades de planejamento, projeto, supervisão, implantação, operação e manutenção de Sistemas de Telecomunicações.

Um cuidadoso estudo dos processos produtivos de Telecomunicações foi realizado de forma a distinguir as competências e bases tecnológicas requeridas dos trabalhadores que neles atuam, de maneira a orientar a formulação de currículos voltados à formação de profissionais para a área.

Os Referenciais Curriculares Nacionais para a área Profissional de Telecomunicações informam que "No estudo que gerou este importante documento, referencial para a organização da matriz curricular de educação profissional na área de Telecomunicações, foram ouvidos, de forma representativa, os setores interessados, incluindo trabalhadores, empregadores e instituições de ensino profissionalizante, embasadas na sedimentação do trabalho, na vida produtiva e nos indicadores das tendências futuras nas relações entre o capital, o emprego e o trabalho".

Os Referenciais Curriculares Nacionais mostram que “A partir das privatizações, o planejamento da expansão das telecomunicações brasileiras está definido com a perspectiva de que a competição de serviços, será induzida imediatamente e se intensificará com a entrada das empresas “espelho” e com a liberalização total de exploração após o ano 2002 “ É na prestação de serviços que está o maior número de técnicos e, também, a maior diversificação da atuação profissional de telecomunicações, pois, somente no setor de implantação, eles podem executar a instalação de: redes multipar- supervisionando o lançamento dos cabos, as emendas dos pares e medições; sistemas ópticos- executando o lançamento dos cabos, fazendo emendas das fibras ópticas e medições em todo o sistema óptico; circuitos de dados- inicialmente identificando o par telefônico à ser utilizado e , após, fazendo vários testes para saber a condição de tráfego de dados e, então, interligando o circuito com os Modems devidamente programado; sistemas de comunicação de voz, dados e vídeo via satélite- o ponto principal é conseguir a qualidade de comunicação necessária, através do apontamento da antena para o satélite; Sistema de TV a cabo (CATV) – além de se envolver com a recepção do sinal de TV do satélite, o técnico se preocupa com o tratamento e distribuição do sinal via cabo ou Microondas (MMDS); sistemas de telefonia celular – propiciam a atuação do técnico na instalação da central de comutação e ou Estação Rádio Base ERB “, citam Os Referenciais Curriculares Nacionais na Área Profissional de Telecomunicações.

O Curso de Telecomunicações do CEFET-RJ deve buscar, apoiado nas Diretrizes Curriculares Nacionais, a formação de profissionais generalistas, com cursos de Especialização Técnica que atendam às necessidades do mercado do Rio de Janeiro, centro metropolitano que vem gerando um número crescente de vagas no setor de Telecomunicações, e, ao mesmo tempo, possibilitando uma educação estruturada promovendo o seu bem estar físico e mental, contribuindo, dessa forma, para o desenvolvimento geral da sociedade.

Acesso

O ingresso no Curso de Educação Profissional de Nível Técnico será através de concurso de seleção, cujas normas e procedimentos são tornados públicos em Edital, divulgado pela imprensa escrita à época própria, como também por meio de convênios com instituições públicas.

Poderão freqüentar o curso de Educação Profissional de Nível Técnico proposto pelo Centro os alunos que já tenham concluído ou estejam matriculados no Ensino Médio.

O CEFET/RJ reorganizou seus cursos técnicos, em cumprimento ao Decreto 2.208/97, de modo a oferecê-los tanto de forma concomitante ao Ensino Médio, quanto seqüencial a esse nível de ensino.

Perfil profissional

O CEFET/RJ, atendendo às determinações do CREA/RJ, e ao DECRETO Nº 90.922, de 6 fev 1985, que Regulamenta a Lei nº 5.524, de 5 de novembro de 1968, que "dispõe sobre o exercício da profissão de técnico industrial e técnico agrícola de nível médio ou de 2º grau", está formando técnicos em Telecomunicações, cujo perfil profissional de conclusão possa assegurar, após sua conclusão, o exercício da profissão de forma a poder:

  1. conduzir a execução técnica dos trabalhos de sua especialidade;
  2. prestar assistência técnica no estudo e desenvolvimento de projetos e pesquisas tecnológicas;
  3. orientar e coordenar a execução dos serviços de instalações, manutenções e restaurações;
  4. dar assistência técnica na compra, venda e utilização de produtos especializados;
  5. responsabilizar-se pela elaboração e execução de projetos compatíveis com a respectiva formação profissional.

O técnico em Telecomunicações deverá ser capaz de:

  • identificar necessidades de mercado em Sistemas de Comutação, de Transmissão e de Telemática;
  • identificar e classificar serviços (voz, dados e imagem) em Sistemas de Comutação, de Transmissão e de Telemática;
  • quantificar a demanda de serviços em Sistemas de Comutação, de Transmissão e de Telemática;
  • selecionar Sistemas de comunicações de Comutação, de Transmissão e de Telemática;
  • especificar Sistemas de Comutação, de Transmissão e de Telemática a serem utilizados;
  • ler e interpretar especificações de projeto em Sistemas de Comutação, de Transmissão e de Telemática;
  • coletar dados de projeto, definindo os meios de comunicação e terminais de acesso a serem utilizados em Sistemas de Comutação, de Transmissão e de Telemática;
  • especificar e detalhar planos de trabalho em Sistemas de Comutação, de Transmissão e de Telemática;
  • participar da implantação de serviços em Sistemas de Comutação, de Transmissão e de Telemática;
  • verificar as condições de instalação de serviços em Sistemas de Comutação, de Transmissão e de Telemática;
  • supervisionar as condições de operação dos serviços implantados em Sistemas de Comutação, de Transmissão e de Telemática;
  • atuar na prevenção e correção de falhas em Sistemas de Comutação, de Transmissão e de Telemática.

Critérios de aproveitamento de conhecimentos e experiências anteriores

O CEFET/RJ prevê, para todos os alunos matriculados na Instituição, o aproveitamento de conhecimentos e experiências adquiridos no trabalho ou em outros meios informais, a partir da implantação de um sistema de testagem de competências, consoante as diretrizes emanadas do Ministério da Educação.

Critérios de avaliação da aprendizagem aplicados aos alunos do curso

A verificação das competências adquiridas pelos alunos dos cursos técnicos é entendida, no CEFET/RJ, como um processo contínuo de testagem e de observação de procedimentos dos educandos, tanto em sala de aula, quanto nos ambientes de laboratório. Os critérios, inicialmente adotados e sujeitos a revisões, de acordo com as transformações previstas na estrutura dos cursos, encontram-se especificados na Resolução 01/2004 do Conselho de Professores – CONSEP.

Instalações e equipamentos oferecidos aos professores e alunos do curso

O Curso de Telecomunicações desenvolverá suas atividades em salas de aula teóricas com recursos de quadro de giz ou branco. As aulas práticas serão desenvolvidas em salas de aula adequadas às mesmas (laboratórios), e que venham a atender às disciplinas técnicas que constituem o Curso de Telecomunicações.

As salas de aula práticas (laboratórios) disponíveis no Curso de Telecomunicações são:

  • sala de aula prática (laboratório) com recursos de informática, contendo micros e impressora;
  • sala de aula prática (laboratório ) de rede de telefonia.

Pessoal docente e técnico envolvido no curso

Nome Graduação
Afrânio Seabra Vargas Engenharia de Elétrica
Afrânio Seabra Vargas Engenharia de Eletrônica
Evandro David Silva Paranaguá Engenharia de Telecomunicações
João Terêncio Dias Engenharia de Telecomunicações
Jose Arteiro Engenharia de Telecomunicações
José Eduardo Tardin Monerat Engenharia de Telecomunicações
José João Valente da Silva Engenharia Elétrica
Luis Carlos Castanheira Thiago Engenharia Elétrica
Luis Carlos Ribeiro de Oliveira Engenharia Elétrica
Marcela Thatiana Fernandes Beserra Engenharia de Telecomunicações
Marlos de Andrade Martins Engenharia de Telecomunicações
Mauro Otto Engenharia Eletrônica
Paulo Bochetti Engenharia de Elétrica
Torcato Francisco Sencadas Moita Engenharia Elétrica

Técnico-Administrativo

Nome Formação
Luiz Cláudio Couto Auxiliar Administrativo

Certificados e diplomas expedidos aos concluintes do curso

Com base no Artigo 8º , inciso II do parágrafo 2º da Resolução 04/99, o CEFET/RJ estruturou este Curso de Educação Profissional de Nível Técnico, prevendo diplomação na habilitação em Técnico em Telecomunicações.